Páginas

sexta-feira, dezembro 16

Previsão do tempo: Parte III Quando não dói falar de amor


Por um instante anestésica...

Pequeno pedacinho de mim, tenho pensando tanto em você. Diariamente escrevo sobre o nosso amor e o deixo gravado feito um diário junto com as figuras da minha imaginação, que insiste em querer você de todas as formas e jeitos que se dispõe existir no meu pensamento.
Sinto como se estivesse aqui, mas não é completo desde que se foi. Não sei se ainda existe um pouco de mim em você, pois tenho a impressão que se esvaiu o sentimento despedaçado na dor da nossa despedida. Mesmo assim, não me contive à sua existência que até hoje perdura em mim. E é tão grande. 
Queria que de alguma forma sentisse que te sinto, mas, talvez por isso deva ver o que eu não vejo, erguendo forças que as quais eu perdi, pra ainda continuar lutando por nós. Lembro de ti quando me atingiu tão forte e encheu-me de alegria que transbordava no meu ser. Foram bons momentos aqueles, em que me ensinava e pude aprender que és tudo e inexplicável, e não era preciso nenhuma licença para estar comigo pois fizeste digno da honra de ser o dono da casa.
Hoje, não se apresenta em demasia, mas não se extinguiu por está longe de mim. A verdade é que tem me incomodado cuidá-lo sozinha e necessito de uma companhia de forma exagerada e urgentemente. Ensinou-me o dom de compartilhar que agora me vejo com a obrigação de tê-lo dividido visto que esta é a melhor forma de amar. 
Das muitas cartas que te escrevi, esta foi a que me senti melhor apesar da dor que se cria quando penso em nós. Talvez seja um trecho de um sonho bom, que talvez comece logo ou termine de vez essa agonia. O amor é algo tão bonito que mesmo dividido transborda! E dessa vez quero me afogar completamente, demasiadamente em ti.


Evelyn Dias

23 comentários:

  1. interessante....

    O QUE VC ME ESCREVEU

    RSRS

    VALEU PELA VISITA E COMENTÁRIO

    ResponderExcluir
  2. Aqui não estão pedacinhos, estão sentimentos inequebráveis em palavras simples mas puras e verdadeiras. Engraçado e curioso, não é verdade? O Amor é o único sentimento que mesmo dividindo, sendo reconstruído, quebrado e afins nunca perde o seu valor e sempre tem mais e mais! Lindo e poderoso. Um beijo, moça querida :)

    ResponderExcluir
  3. Ual! Faço de suas palavras uma carta ao meu amor. É tudo o que sinto e penso.
    Um beijo, adorei o blog!

    ResponderExcluir
  4. O amor requer uma entrega e uma dedicação total a alguém que nós amamos.. Não representa apenas a união física de dois corpos, mas o envolvimento de duas almas, juntas numa só. E é por tudo isto que quando acaba doi, doi e doi! E você em palavras traduz essa dor! Adorei :)
    Beijão grandiiiii :)*

    ResponderExcluir
  5. E é tão difícil ter que se adaptar a não ter aquilo que nos faz feliz... Parece quase impossível.
    E quanto mais dividimos amor mais ele transborda!

    Muito, muito incrível tuas palavras!
    Beijos*:

    ResponderExcluir
  6. palavras transbordantes... como os sentimentos que tocam.
    beijos, querida evelyn!

    ResponderExcluir
  7. OI EVELYN
    VIM PARA LHE DESEJAR UM MARAVILHOSO SÁBADO
    E BOM DOMINGO OS DESFRUTO COM PLENITUDE

    BRUNO

    ResponderExcluir
  8. É verdade meu anjo. Borracha utilizada nunca mais será igual e dói, demais. Um beijo *

    ResponderExcluir
  9. O amor é reamente a coisa mais fascinante que a vida nos dá. Mas viver sem ele é como viver sem ar...impossivel.
    Amei o texto e a sua maneira de escrever
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  10. Lindo este seu texto, fica sempre a recordação, aquela saudade que permanece no nosso peito sempre que recordamos um grande amor, um amor de uma vida. Certamente ele terá junto dele recordações suas, recordações do vosso amor como da mesma forma você também o terá. Gostei muito e revi-me muito nesta palavras. Um beijo :)*

    ResponderExcluir
  11. O amor é mesmo o melhor que a vida nos pode dar. E viver sem ele é como viver sem ar, é impossivel. Sem amor não ha vida, por isso é que ele é tão unico e inesplicavel.

    ResponderExcluir
  12. O amor permanece e nos orienta. Parece que nos tornamos fantoches na mão deste sentimento. Nossos atos são reflexos do que ainda persiste. E não há medida que diminua esta dedicação. Amor é amor. E nunca há menos ou mais...

    Difícil compreender tudo. Só que queremos nos afogar ainda naquele ardor belo por onde o amor nos transporta...

    Belo!

    Beijinhos querida! Tinha saudades daqui!

    ResponderExcluir
  13. Se transborda é porque não é dividido, é porque é a soma de dois todos. (:

    Lindo texto, Evelyn.

    ResponderExcluir
  14. O que dá sentido a nossa vida se não o amor?!!!

    Uma semana abençoada p/ vc**!!
    Bjus

    ResponderExcluir
  15. Serei mais expressivo então rs:
    quem disse que o amor é manso?

    Obrigado por sua visita no meu blog,
    volte sempre que quiser, beijão;)

    ResponderExcluir
  16. Amor é assim mesmo, bom e ruim. Complicado, difícil e fácil. Mas é lindo, as coisas mudam, adorei seu texto e odiei minha forma de tentar explicar como eu adorei seu texto, talvez o que eu passo, seja bem parecido.

    Beijo, hells.
    @hellswetri

    ResponderExcluir
  17. " O amor é algo tão bonito que mesmo dividido transborda "

    Ameeei.
    seguindo aqui, bjs

    ResponderExcluir
  18. Pode transbordar, porque não se esgota. Está sempre a se renovar, quando verdadeiro.

    Bjs.

    ResponderExcluir